O que são antioxidantes?

São substâncias que neutralizam os radicais livres, moléculas muito reativas que atacam as estruturas celulares, como proteínas ou até mesmo o DNA. Na pele, os antioxidantes combatem os radicais livres que aceleram o processo de envelhecimento, causando o aparecimento precoce de linhas de expressão, rugas e manchas. Existem dois tipos de antioxidantes: os enzimáticos, que são aqueles naturais do organismo, e os não enzimáticos, que também estão presentes no corpo mas podem ser adquiridos por meio da alimentação, consumo de suplementos ou uso tópico – é o caso de diversas vitaminas.

A médica dermatologista Flávia Addor, que fez uma pesquisa sobre o assunto, lembra que os radicais livres estão envolvidos não apenas na aceleração do envelhecimento, mas também na inflamação, na queda de cabelo e até mesmo no câncer de pele. Ela ressalta que os antioxidantes adequados são capazes de prevenir ou mesmo reduzir estes danos, tanto na pele, quanto no couro cabeludo.

Radicais livres: o que são e que danos podem causar

Os radicais livres são moléculas instáveis presentes no nosso corpo que atrapalham o bom funcionamento do organismo. Quando produzidos em alta quantidade, danificam a pele e os cabelos.  Quando somos expostos a alguns agentes, ocorre um aumento na quantidade de radicais livres, causando desequilíbrio corporal e perda da capacidade de combater estas moléculas. É o que os médicos chamam de estresse oxidativo, quando o excesso de radicais livres supera as defesas naturais do organismo. Na pele, os radicais livres alteram as funções de proteínas como o colágeno, provocando a flacidez e as rugas. Fatores como poluição, raios ultravioleta, tabagismo, consumo de bebidas alcoólicas e estresse, também contribuem para o excesso de radicais livres no organismo. Para combater este problema, o caminho é partir para uma alimentação rica em antioxidantes e até mesmo recorrer ao suporte de uma suplementação rica neste tipo de substância, que são capazes de combater a ação destes inimigos.

Quais os principais antioxidantes?

Os mais conhecidos são as vitaminas C, A e E, que podem ser repostas no organismo pela alimentação, pelo uso via oral através de suplementos  ou, em alguns casos, por aplicação tópica. Muitas vezes, a associação de vias diferentes é particularmente interessante, como o uso tópico associado à suplementação. Outros antioxidantes também são importantes para o nosso organismo como Zinco, Selênio, Cromo, Licopeno e Luteína. Veja os benefícios de 4 deles:

Vitamina C

É a mais recomendada pelos dermatologistas, já que o chamado ácido L-ascórbico oferece ampla proteção contra os radicais livres, que provocam as manchas e envelhecimento cutâneo, trazendo diversos benefícios para a pele. Além da ação antioxidante, a vitamina C também fortalece as defesas naturais dos tecidos.  Auxilia ainda nos tratamentos de clareamento e antienvelhecimento. A ação da vitamina C pode ser potencializada se administrada em conjunto com outros antioxidantes, como a vitamina E, que é reciclada por ela, explica a dermatologista Flávia Addor.

Vitamina E

É um composto de oito substâncias de estrutura semelhante. Pela ação antioxidante, melhora a saúde da pele e dos cabelos, porque fornece integridade aos tecidos, evitando o envelhecimento e prevenindo rugas. Possui também propriedades anti-inflamatórias, além de contribuir para o equilíbrio do colesterol, reforço do sistema imunológico e beneficiar a produção de hormônios. De acordo com a dermatologista Flávia Addor, a vitamina E é o antioxidante de maior evidência na literatura porque, além de possuir uma ação ampla, é muito compatível com a pele, tanto em via oral quanto tópica.

Esta vitamina age basicamente como protetora das membranas celulares, criando defesas contra os danos da radiação ultravioleta, por exemplo.

Vitamina A

É uma substância que age diretamente na renovação celular e na produção de novas fibras de colágeno na pele. Oferece excelente ação antioxidante, reduzindo a oleosidade da pele e os danos causados pelos raios ultravioleta, além de desacelerar o envelhecimento. A Vitamina A também é aliada no combate a linhas finas de expressão, além de diminuir espinhas e marcas de acne. Favorece a cicatrização e a suavidade da pele, regulando o metabolismo durante o processo de renegeração celular. Esta vitamina possui vários derivados. Uma das formas mais comuns é o retinol, que ameniza a flacidez e dá uma aparência mais firme para a pele. Na alimentação, o retinol pode ser encontrado em produtos de origem animal, tais como manteiga, gema de ovo, leite, carne e alguns peixes. Outras formas de vitamina A são os carotenos e os becarotenos, com forte ação antioxidante, que podem ser encontrados também em vegetais de folhas verde escuro como espinafre, repolho, além de outros alimentos como abóbora e cenoura. Já os retinóides, também derivados da vitamina A, tem como principal benefício o combate ao envelhecimento e a formação de rugas. Podemos mencionar ainda o ácido retinóico, ingrediente fundamental para medicamentos que combatem a acne severa.

Licopeno

Este é um antioxidante potente, capaz de proteger as células do nosso organismo contra o excesso de radicais livres, reduzindo assim o risco de doenças crônicas, incluindo o câncer. Faz parte do grupo chamado de carotenoides, que são essenciais para a nutrição humana, agindo também na prevenção de doenças degenerativas. O licopeno não é produzido pelo organismo, por isso deve ser adquirido através da dieta alimentar ou pelo uso de suplementos. É ele que dá a cor vermelha para frutas e legumes como tomate, melancia e mamão. Pesquisas revelam que o licopeno melhora o sistema imunológico e, pela ação antioxidante,  é capaz de manter a força, a espessura e a fluidez das membranas das células. O uso do licopeno, associado às vitaminas C, E e ao betacaroteno, é considerado um potente protetor da pele contra os danos causados pelo sol. Quando ingerido, o licopeno garante as características de reduzir os efeitos do envelhecimento, produzir mais colágeno e melatonina, o que regula a saúde geral da pele.

Em relação aos cabelos, o licopeno também é um importante aliado. Além de sua função antioxidante, que protege os fios de danos causados por radicais livres, algumas pesquisas sugerem que a ingestão diária de alimentos ricos em licopeno pode ajudar a reduzir o excesso de DHT, di-hidrotestosterona, substância que quando em excesso, está muitas vezes ligada a problemas de calvície, especialmente entre os homens.

Outra vantagem do licopeno é melhorar a capacidade do couro cabelo de apoiar o crescimento de cabelos saudáveis, menos suscetíveis a quebra e queda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.